Acessibilidade é destaque do Espaço da Literatura no 17º Festival de Inverno de Bonito

Clássicos da literatura regional, títulos nacionais e os conhecidos gibis da Marvel e jogos literários integram a exposição do Espaço da Literatura do 17º Festival de Inverno de Bonito. A intenção dos idealizadores do local é despertar a imaginação dos visitantes, para a criação poética. Um mural de versos em folhas avulsas, retiradas do Livro de Água, de Karina Rabinovitz e Silvana Rezende é um dos destaques da ambientação que também tem como lema neste ano, a acessibilidade.
No local as pessoas conhecem jogos de dama e batalha naval em braile e livros que misturam o braile e a escrita clássica com ilustrações. Filmes com áudio descrição e janelas de libras também podem ser assistidos.
Carolina Barros, 24 anos, levou a filha Maria Alice, de 3 anos, para conhecer o espaço. “É importante ter acesso à literatura desde pequena, mesmo porque, é muito difícil encontrar livros culturais aqui em Bonito”, afirmou. Além das crianças desfrutarem de um espaço para pintarem e desenharem, ainda podem se divertir remontando palavras retiradas de poemas de Manoel de Barros, que ficam expostas numa lousa imantada. No sábado, dia 30, a arte educadora Michelly Dominiq contará muitas histórias da nossa cultura regional. Tudo traduzido em libras.
Os jogos e produtos literários acessíveis foram doados pelo Ministério da Cultura por meio do projeto Acessibilidade em Bibliotecas, executado pela Oscip “Mais diferenças”. Segundo dados do Censo Demográfico de 2010, 23,9% da população brasileira, ou seja, cerca de 45 milhões de pessoas têm algum tipo de deficiência (visual, auditiva, intelectual, física ou múltipla).

DSC_8665

Texto Gisele Colombo

Foto Eduardo Medeiros