Em tom de alegria 7ª Temporada do Chapéu é aberta em Campo Grande

Puxada pela Orquestra Vai Quem, o cortejo seguiu animado no centro da cidade. Foto: Daniel Reino

Campo Grande (MS) – As ruas do centro da cidade foram tomadas na manhã desta quinta-feira (16/03) por um cortejo festivo e alegre puxado pela Orquestra Vai Quem Vem. Dezenas de pessoas prestigiaram a abertura da 7ª Temporada do Chapéu – Mostra Nacional do Teatro de Rua percorrendo a Rua Barão do Rio Branco, contornando a 13 de Maio, passando pela Praça Ary Coelho e seguindo até o ponto de partida no Calçadão da Barão pela 14 de Julho, onde foi apresentado o primeiro espetáculo da temporada com a companhia Circo Le Chapeau.

A Orquestra Vai quem Vem é formada por 25 integrantes de diversas partes do país trazendo um ecletismo musical. Há dois anos o grupo participa de dois grandes eventos, o Carnaval e a Festa de São João. Para Vinil Moraes, músico e coordenador da Orquestra, foi uma experiência única participar da abertura do evento, “A gente se sente honrado de poder participar e celebrar o teatro.”

Muita gente voltou à infância com as peripécias e performance dos atores Junior de Oliveira e Pepa Quadrini que mostraram números circenses, malabarismos, palhaçaria, acrobacias. O Tradicional Pocket Show da companhia Le Chapeau resgata justamente os elementos do circo com leveza e comicidade. Daniele Paes Esteves estava indo almoçar, quando viu o teatro a céu aberto, resolveu parar para assistir, “achei talentoso. Há alegria nas coisas simples, a gente não precisa de muito luxo, mas sim de momentos como esse”, disse entusiasmada. Já as amigas Eliana Maranini, salgadeira e Verônica Colombo, atendente, gostaram do que viram, “é uma distração”, disseram.

O espetáculo agradou os transeuntes que passavam pelo Calçadão da Barão. Foto: Daniel Reino

Já a encarregada de departamento pessoal Cleodete Lima estava com a filha Rafaela Lima de 5 anos na praça Ary Coelho, quando o cortejo por lá passou e resolveu acompanhá-lo. Assistiu ao espetáculo e disse ter lembrado da infância, “e ainda era de graça”, frisou.

Rafaela de 5 anos e sua mãe Cleodete (à esquerda) se divertiram com o espetáculo ao ar livre. Foto: Daniel Reino

A companhia Le Chapeau, que, aliás, leva esse nome por ser o chapéu um símbolo, como se substituísse a bilheteria, já que os espetáculos que a companhia apresenta geralmente são na rua, a céu aberto. “A nossa ideia é sempre se apresentar na rua independentemente de eventos”, ressalta o ator Junior de Oliveira que completa, “a gente ficou super animado, mesmo com o sol a pino, porque a Temporada do Chapéu é muito importante para nós. Já é a quarta edição que a gente participa”, conclui. João Rocha, diretor do espetáculo disse o que o evento oportuniza arte voltada para a população, “atinge pessoas que não conseguiriam ir ao teatro”.

Aline Zilli é do Rio Grande do Sul e faz parte do Grupo Uêba, que vai se apresentar no domingo às 16h da Orla Ferroviária. Zilli disse que o evento favorece a troca de experiência e o intercâmbio entre os próprios artistas, “a gente vem do Sul e encontra-se com o resto do país”.

A atriz Aline Zilli prestigiou o evento e também irá se apresentar no domingo com a Cia Uêba de RS. Foto: Daniel Reino

É a primeira vez que a Temporada do Chapéu recebe recursos do FIC (Fundo de Investimentos Culturais). “Queremos estar participando com o público, divertindo-os e nos divertindo”, disse Fernando Cruz, organizador do evento.

A 7ª Temporada do Chapéu vai até o próximo  domingo (19/03)  com uma programação imperdível, confira aqui.