Mimulos Cia de Dança, de Belo Horizonte, recompõe o universo de Arthur Bispo do Rosário no 18º FIB

A Mimulus Cia de Dança, de Belo Horizonte, traz para o Festival de Inverno de Bonito 2017 o espetáculo “Por um fio”, que será apresentado no dia 30 de julho, sábado, às 18 horas, na Praça da Liberdade. A companhia transpõe o fascínio pelos bordados, escritos, amontoados de Arthur Bispo do Rosário, para o emaranhado de braços e corpos que bordam coreografias.

Arthur Bispo do Rosário foi um artista plástico falecido em 1989. Rosário sofria de esquizofrenia, e durante seu período de internação na Colônia Juliano Moreira, um sanatório no Rio de Janeiro onde permaneceu por mais de 50 anos, produzia objetos com diversos itens oriundos do lixo e da sucata que, após a sua descoberta, seriam classificados como arte vanguardista. Entre os temas de suas obras destacam-se navios (tema recorrente devido à sua relação com a Marinha na juventude), estandartes, faixas de misses e objetos domésticos.

A Cia Mimulos reconstrói esse universo, com um emaranhado de fios elétricos, filamentos das lâmpadas incandescentes que se confundem com os fios condutores das coreografias e com a sucata do trabalho dos bailarinos, que lhes servem de matéria prima para a composição da obra. O figurino inspira-se na forma como os internos vestiam-se para os bailes da Colônia Juliano Moreira, é confeccionado em sua maior parte com o aproveitamento de retalhos e tecidos descartados. A exemplo das obras do Bispo, as peças são bordadas com textos, palavras e inventários. Trabalho realizado pelas “Meninas do Cafezal”. O espetáculo “Por um fio” é uma homenagem ao centenário de nascimento de Arthur Bispo do Rosário e aos 20 anos de sua morte.

POR UM FIO – Mimulus Cia. de Dana (Belo Horizonte/MG – Brasil)

O diretor artístico da companhia, Jomar Mesquita, explica que apesar de ser inspirado nesse universo mais sombrio da esquizofrenia, o espetáculo “é muito pra cima, tem uma energia muito boa, muito gostosa. Tem altos e baixos nesse sentido, mas é de onde as pessoas costumam sair com uma energia renovada, bem entusiasmadas. Espero que em Bonito aconteça isso também”.

É a primeira vez do grupo no Festival de Inverno de Bonito e o diretor afirma que a expectativa é grande. “Sempre que a gente vai pela primeira vez numa cidade a expectativa maior, por ser um lugar diferente, público diferente, palco aberto, é muito gostoso. Esses festivais assim acabam atingindo um público muito amplo e variado, pessoas de todas as idades e classes econômicas. Pode ser que nós, no momento da montagem, tenhamos que fazer adaptação em função do palco aberto condições técnicas, mas nada significativo. O cenário, luz, são adaptados de acordo com cada espaço, mas coreografia permanece a mesma”.

“Por um fio” já foi apresentado na Bélgica, França e Itália e sua estreia foi em 2009. É um dos trabalhos da Mimulus Cia de Dança, que possui 25 anos de existência. A fase profissional da companhia começou em 2000 e seu trabalho é todo baseado nas danças de salão. “É um trabalho único, referência na desconstrução das danças de salão. Trata-se de um espetáculo cênico, em que buscamos transpor a linguagem coreográfica para os palcos de uma forma artística”.

Se você quiser conhecer um pouco mais do trabalho da Mimulus e da obra de Arthur Bispo do Rosário, e de quebra, passar bons momentos apreciando um bom espetáculo de dança, venha para o 18º Festival de Inverno de Bonito! A apresentação vai ser na Praça da Liberdade, às 18 horas do dia 30 de julho de 2017.