MIS aborda protagonismo feminino com oficina, encontro, exibição de filme e mostra fotográfica

Campo Grande (MS) – Arte e protagonismo se somam no Dia da Mulher do Museu da Imagem e do Som, unidade da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul. A programação acontece no dia 9 de março (sábado) e reúne oficina de Bonecas Abayomis, encontro cultural, exibição do filme “Glauces, Estudo de um Rosto” e exposição fotográfica retratando a carreira atriz Glauce Rocha. Tudo isso com entrada franca.

As ações celebram o Dia Internacional da Mulher, comemorado em 8 de março e começam às 14 horas com a oficina de Bonecas Abayomis, símbolos da cultura africana que ressaltam a força das mulheres negras na época da escravidão.

Sua história remonta aos navios negreiros. Quando embarcadas, as africanas levadas pelo tráfico arrancavam pedaços de suas roupas para confeccionar bonecas para suportar o sofrimento da viagem e da escravidão.

Acervo / Asscom

As bonecas Abayomis dispensam costura e o acabamento é feito por meio de amarração dos retalhos. Os panos pretos que compõem o corpo e cabelos são uma forma de fortalecer a identidade racial. Ministrada por Ângela Vanessa Epifânio, a oficina contará com 50 vagas e resgata a tradição e a identidade cultural de nossa sociedade.

Glauce Rocha – Vida, obra e o talento de Glauce Rocha são inspirações para duas atrações do Dia da Mulher do MIS: a exibição do documentário “Glauces, Estudo de um Rosto” (2001), de Joel Pizzini e de uma exposição de imagens e adereços da atriz.

Glauce Eldé Ilgenfritz Corrêa de Araújo Rocha nasceu em Campo Grande em 1933 e morreu em São Paulo, em 1971; foi musa dos anos 1960 por seu estilo e personagens que interpretou no teatro, no cinema e na televisão, atravessando duas gerações de criadores.

Peça “As três irmãs”/ Acervo MIS

Com forte consistência intelectual, a profissão de atriz não lhe supriu inteiramente, levando-a a desenvolver a direção, a produção, a dramaturgia e a crítica em sua vida artística.

No cinema, atuou em Terra em Transe (1967), Navalha da Carne (1969), entre outros 25 filmes, 64 produções televisivas e cerca de 40 peças teatrais. Conquistou dois Molières (maior prêmio de teatro da época). Aclamada pelo público e pela crítica, deixou um forte exemplo de coragem e de luta pela democracia ao protestar contra a censura no período pós-Estado Novo e durante a Ditadura Militar.

“Glauces, Estudo de um Rosto” navega pela grandiosa obra da atriz. Utilizando trechos de filmes com imagens da artista, o diretor se expressa na linguagem poética pela voz de Paulo Autran. Um filme sensível que ilumina uma trajetória única.

Já a exposição “Glauce Rocha, atriz brasileira” apresenta dezenas de fotografias de cenas e peças de figurinos pertencentes ao próprio acervo do Museu da Imagem e do Som.

“O resgate de uma identidade cultural tradicional se une a merecida homenagem a uma atriz que deixou um grande legado. A programação do MIS celebra o pioneirismo de mulheres que enfrentaram opressões. Ainda hoje lutamos por igualdade. Devemos relembrar aquelas que no passado romperam barreiras ainda mais fortes e que abriram portas”, avalia a presidente da Fundação de Cultura, Mara Caseiro.   

Tv Tupi. Cabocla 1959 / Acervo MIS

Serviço: Todas as atividades da programação do Dia da Mulher do Museu da Imagem e do Som são gratuitas.

A oficina de Bonecas Abayomis acontece das 14h às 16h. As Inscrições podem ser feitas pelo e-mail efsilva@fcms.ms.gov.br. Participantes devem levar tesoura, retalhos de tecidos coloridos para a roupa e de tecido preto (cotton, lycra ou malha) para o corpo. Mais informações podem ser obtidas na Gerência de Patrimônio Histórico e Cultural pelo telefone 67 3316-9163.

O Museu da Imagem e do Som fica no Memorial da Cultura e Cidadania, na Avenida Fernando Corrêa da Costa, 559, 3º andar. A Exposição Glauce Rocha estará aberta ao público gratuitamente de segunda a sexta, das 8h às 17h. Informações também pelo telefone 3316-9178.