Obras de Lídia Baís que estão na Morada passam por higienização

Categoria: Patrimônio Histórico | Publicado: quarta-feira, fevereiro 16, 2022 as 10:53 | Voltar

Campo Grande (MS) – A partir desta quarta-feira, 16 de fevereiro de 2022, as obras de Lídia Baís que estão na Morada dos Baís, entre seis obras de pintura, um desenho e mais de 50 fotografias, estão passando por um processo de higienização para poderem ser transportadas: as pinturas e desenho vão para o Museu de Arte Contemporânea e as fotografias vão para o Museu da Imagem e do Som, ambos unidades da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul.

As obras vão ser salvaguardadas e acondicionadas de forma adequada na reserva técnica do Marco e do MIS durante o processo de reforma e restauro da Morada dos Baís, cuja previsão de término é no início do segundo semestre deste ano. Terminada a reforma, as obras voltam para a Morada dos Baís.

Parte do acervo que vai ser transportado pertence à Fundação de Cultura de MS, e parte, à Sectur. Estas duas instituições entraram em acordo sobre a decisão de acondicionamento das obras nos dois museus durante a reforma da Morada.

Segundo a coordenadora do Marco, Lúcia Monte Serrat, as obras sofreram um processo de exposição ao calor, frio, e a temperatura e condições de umidade a que estavam expostas não era adequada para sua conservação, o que gerou uma deteriorização das peças. “Esta obra do auto retrato, por exemplo, está craquelando no rosto, cabelo, centro, ao redor das fores, e tem manchas de contato no centro inferior. Ela foi restaurada pela Áurea Katsuren, mas necessitaria de um novo restauro”.

Lúcia Monte Serrat explica que, para o transporte, as obras vão ser envolvidas em papel de seda ou manteiga, papel bolha e craft. “O ideal seria colocar, depois de embaladas, todas as obras em caixa de madeira, mas não sabemos se vamos conseguir isso, então teremos que improvisar”.

“É muito importante o cuidado e manutenção com as obras da Lídia Baís, porque ela faz parte da nossa história, é uma personagem precursora na arte sul-mato-grossense. A obra dela representa um marco na arte do nosso Estado”, diz Lucia.

O gerente de Patrimônio Histórico e Cultural da Fundação de Cultura, Caciano Lima, informou que existe a previsão de oferecimento de cursos pelo Sistema Estadual de Museus sobre preservação e conservação de acervos museais, catalogação de acervos e mediação cultural para formação de técnicos nas diversas áreas do patrimônio cultural para atuação nos museus sul-mato-grossenses.

Técnicos da Fundação de Cultura de MS, da Gerência de Patrimônio Cultural da Sectur, equipe do arquivo histórico e do Museu José Antônio Pereira vão atuar durante esta semana no processo de higienização, preparando as obras para o transporte. Na semana que vem, a coordenadora do MIS, Marinete Pinheiro, vai se encarregar do acondicionamento e higienização das fotografias. Este processo vai levar cerca de 15 dias, e após este período, as obras serão transportadas e ficarão salvaguardadas no MARCO e no MIS até o término da reforma na Morada dos Baís, para melhor conservação do material.

Fotos: Ricardo Gomes

Publicado por: Karina Medeiros de Lima

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.