Performance “Cabeção pelo mundo” anima idosos do Centro de Convivência em Corumbá durante o Fasp 2022

Categoria: Dança, Festival América do Sul Pantanal | Publicado: quarta-feira, maio 25, 2022 as 12:29 | Voltar

Corumbá (MS) – Uma performance muito fofinha e alegre animou os idosos do Centro de Convivência do Idoso na manhã desta quarta-feira, como programação do Festival América do Sul Pantanal. “Cabeção pelo Mundo” foi idealizada pela dançarina e pesquisadora Maria Eugênia Tita, filha dos famosos artistas Antonio Nóbrega e Rosane Almeida.

 

“Foi um convite do Festival, em alguns lugares que a gente vai fazer esta performance. Eu nunca havia feito nesse contexto do idoso, mas eu intuí que podia ser muito bacana, topei na hora. Eu me diverti muito”, diz a bailarina Maria Eugênia Tita.

É a primeira vez da artista no Festival América do Sul Pantanal. Ela já havia vindo há mais de 15 anos, dançando com seu pai, mas com meu trabalho solo é a primeira vez. “Está sendo muito gostoso. Hoje é a estreia aqui, está sendo muito bom”.

“Este modelo da cabeça grande e fazendo essa brincadeira como se ele fosse baixinho foi inspirado numa tradição do Pará que chama Cabeçudos, de Santo Antonio de Edivelas, e aí meus pais fizeram um espetáculo em 2005, em que tinha essa releitura desse boneco, e a partir de então eu continuo fazendo”.

“Eu tenho uma estrutura, algumas músicas que dão um pouco o clima, tenho passos de dança, movimentos que são já usuais, mas aí dentro dessa estrutura, o que acontece de relação com as pessoas é improvisado. A ideia é a relação com as pessoas, que elas vão propondo como é que eu consigo interagir com elas, com o movimento delas, eu gosto muito de fazer isso, de tentar entrar no movimento da pessoa, o que ela está fazendo e fazer junto, em vez de fazer com que ela imite o cabeção, eu que imito ela”.

Uma das idosas que se divertiu muito com o personagem “cabeção” foi a Maria Iara dos Santos Abertoni, que tirou 3º lugar no Miss Terceira Idade representando os idosos de Corumbá. “Achei muito bonito, legal. Os idosos ficam todos alegres, dançam junto, é muita alegria. Tem muitos idosos que ficam tristes, que ficam só sentados, eu já saí pra dançar. A gente com a pandemia já vai entrando em depressão, e foi uma boa sair um pouco”.

Marcia Delma da Silva, outra idosa do Centro de Convivência, era só alegria, dançando e se divertindo com o “cabeção”: “eu me senti alegre, eu sempre fui assim, sempre gostei de dançar, de me distrair. O importante é se divertir e está bom”.

A coordenadora do Centro de Convivência do Idoso, Eliege Ferreira, afirmou ser uma grande alegria ser escolhido como local de uma das apresentações do Fasp. “Esse festival é tão importante, tão rico para Corumbá, para Mato Grosso do Sul, o sentimento é de alegria e de prazer em poder ter esse feedback com nossos idosos que são tão amáveis. Eles estão retornando depois de um período bem difícil mundialmente, agora estão retornando à casa, estão bem felizes, eu acredito que eles vão gostar muito das muitas surpresas que vêm por aí”.

Maria Eugênia Tita apresentará o "Cabeção pelo mundo" nos dias 25, 26, 28 e 29 de maio em diferentes locais durante o festival. A bailarina também apresentará o espetáculo “Planta do Pé” no dia 27, às 18h30, no Porto Geral, em Corumbá.

Fotos: Vaca Azul

Publicado por: Karina Medeiros de Lima

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.